Comer ou não comer, essa não é a questão

Por


Postado em 27 de June de 2016


comer ou não comer

Olá gente, beleza?!

Nessa semana acabei indo visitar minha família que não via há 6 meses e foi ótimo. Encontrei uma tia e notei algo diferente nela (algo bom), e como gosto de elogiar, assim o fiz. E ela me respondeu que havia perdido 15kg , mas me respondeu com um ar de tristeza, pois, juntamente com o sucesso da perda ela já acrescentou “ah, mas ainda faltam 15kg”. Fiquei muito feliz pelo sucesso dela e pensativa sobre a pressão interna que ela deve estar sofrendo. Lembrei-me que sempre quero mais e mais e nunca estou satisfeita quando consigo algo (sempre pensando no futuro). Por um lado, é bom, pois sempre estamos buscando o melhor, mas por outro é péssimo, parece que não valorizamos nossos acertos.

E nos meus pensamentos, percebi que talvez essa auto pressão seja muitooooo ruim, e não apenas um pouco, como pensava anteriormente. Nosso corpo reage a hormônios, se eu não fico feliz, e não permito essas comemorações, minha produção de Endorfina (hormônio do prazer) pode estar prejudicada e deve ser por isso que sempre necessito de algo mais (um docinho por exemplo).

E fazendo analogia às minhas inúmeras dietas testadas anteriormente, vejo nitidamente que nosso organismo reage aos hormônios e não as calorias. Assim como precisamos dos outros para nos ajudarem na jornada de vida saudável (com uma motivação, companheirismo ou somente um elogio), é a combinação dos estímulos corretos que ativam os hormônios do nosso organismo. A partir daí seremos mais saudáveis ou não, depende do estímulo que recebemos.

Para vocês terem uma ideia de como é incrível a máquina chamada corpo humano, a insulina é como uma chave que abre as fechaduras das células do nosso corpo, para que a glicose (açúcar no sangue) entre e seja usada para gerar energia. Já a testosterona é responsável pelo aumento da musculatura, massa óssea, e o consumo de proteínas e aminoácidos auxiliam sua produção.

Gente, e o Cortisol? Para mim, sem dúvidas, um dos mais sensacionais! Ele influencia tudo (ou quase tudo) porque ajuda o organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações, contribuir para o funcionamento do sistema imune e manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial. O cortisol não pode estar alto (pode causar perda de massa muscular, aumento de peso ou diminuição de testosterona) e nem baixo (pode ocasionar depressão, cansaço, fraqueza). É necessário que ele esteja no nível certo, assim todos os outros hormônios e nosso corpo, podem funcionar normalmente.

Ou seja, a gente deveria olhar mais para o que estimular e não somente para o resultado final. Aí, regras como baixo nível de carboidrato ou maior quantidade de proteínas são menos importantes do que a escolha correta do carboidrato (ou da proteína), pois dependendo se é açúcar ou grão, absorção será diferente e perderemos ou ganharemos peso.

Mais uma vez, as coisas não são isoladas para darem certo.  Inclusive dentro do nosso corpo! Então, não é só engordar ou emagrecer, ficar forte ou perder aquela barriguinha. É ser feliz, compartilhar seus acertos, se permitir acertar e comemorar isso. Estimular seus hormônios, e novamente, ser feliz.

Curta-se, Cuide-se, Endorfine-se, Moovup-se.