Quanto de atividade física é necessário para melhorarmos a saúde?

Por


Postado em 20 de July de 2017


Man and Woman Exercising

Olá pessoal, tudo bem?

Nossa, está tão frio ultimamente que, não sei vocês, mas tenho deixado muito de lado as práticas de exercícios físicos. Fico sempre me perguntando, quanto tempo preciso me exercitar e, infelizmente, a auto sabotagem tem ganhado na maioria das vezes, pois penso que não tenho tempo suficiente em minha rotina diária.

Fico vendo na academia  pessoas passarem 1 , 2 e até 3 horas e penso: gente, isso não é para mim. Uma pela falta de tempo, outra pelo cansaço e por fim, a falta de “saco”. Para tirar a dúvida do quanto é realmente necessário, estive conversando com o especialista do Moovup Vitor Tessutti.

Segundo ele, uma condição saudável de vida depende de uma serie de fatores, dentre eles as condições alimentares, psíquicas, sociais, e também o nosso físico. Dentro deste último componente, existe uma série de necessidades que devemos contemplar. De acordo com o Colégio Americano de Medicina do Esporte (ACSM), o que compõem uma boa condição física é: aptidão cardiorrespiratória e muscular (força e resistência musculares), composição corporal (percentuais de gordura e massa magra) e flexibilidade. Mas quanto devemos fazer de exercício e/ou atividade física, ou ainda, quanto de cada um destes componentes, para sermos um indivíduo fisicamente saudável?

Uma forma que se tem para verificar o quanto estamos fazendo de atividade física ou exercício físico de uma forma mais generalista é basear-se no gasto calórico diário proveniente dos mesmos. Por exemplo, a energia mínima a ser gasta pelos indivíduos deve ficar em torno de 1000 kcal/semana, em atividades de moderada e elevada intensidade, segundo a mesma instituição. Esta forma de se exercitar está associada a baixas taxas de doenças cardiovasculares e mortes prematuras.

De acordo com o ACSM, 30 minutos de atividades diárias já são suficientes. Pois é, em 30 minutos conseguimos fazer muita coisa se estivermos focados. A idéia de que o exercício bom é aquele que ficamos horas e horas fazendo, está se modificando, dentro do que chamamos de uma melhor condição de saúde. A palavra agora é intensidade. Não é só a atividade de moderada intensidade que tem sua importância, mas sim, a atividade de intensidade media a elevada, principalmente no que tange à nossa capacidade de cardiorrespiratória, de força muscular e agilidade.

E quais os 6 principais benefícios de 30 minutos de atividades diárias?

  1. Auxílio na diminuição da gordura corporal já que uma maior quantidade de gordura no corpo todo ou somente no abdômen está associada com o aumento dos fatores adversos à saúde.
  2. Aumento da massa livre de gordura, principalmente os músculos, pois se sabe que existe uma associação entre as pessoas com boa proporção de massa magra com baixo risco de todas as causas de mortalidade.
  3. Colocar o sistema cardiovascular e muscular em condições mínimas, pois esta condição está associada a uma diminuição do risco do desenvolvimento de uma saúde ruim.
  4. Em uma condição de meia idade ou mais velho, indivíduos ativos nas condições preconizadas pelo ACSM apresentam um menor risco de todas as causas de doenças cardiovasculares.
  5. Desenvolvimento de maior capacidade de mobilidade em suas atividades da vida diária (AVDs) que envolvam, principalmente, a locomoção e suas variações, assim como nas AVDs que envolvam a capacidade de força muscular.
  6. Maior possibilidade de combate às doenças de ordem psíquica, com a depressão por exemplo.

Enfim, dentro do que estamos nos tornando na sociedade atual, em termos de movimento, com uma condição cada vez mais sedentária, 30 minutos diários de atividade física ou exercício físico de moderada a elevada intensidade, pode ser a chave para a manutenção de uma boa saúde e um tempo mais prolongado de vida.

Mexa-se. Moovup-se.